Artigos

Dedicação, esforço e amor

Quando chegou em São Paulo (SP), o mineiro Sebastião Xavier Sobrinho tinha apenas 17 anos de idade e buscava emprego e maior qualidade de vida. Sua história em terras paulistas, porém, acabou tomando um caminho que o rapaz de 17 anos jamais poderia ter imaginado. 


Sebastião trabalhou por muitos anos em fábricas de construções metálicas, com registro e benefícios, e continuaria nesse ramo não fosse por um acidente que o deixou impossibilitado de realizar atividades braçais e dificultou suas chances de conseguir um novo trabalho de carteira assinada. Sem muitas opções, mas com energia de sobra, decidiu pegar uma carroça e sair às ruas em busca de papelão para vender. Perguntavam se eu não tinha vergonha e eu respondia: ‘Vergonha de quê?’ Eu não estava roubando.”  


Certo dia, o irmão de Sebastião comentou que um amigo queria abrir uma “cooperativa”, termo até então desconhecido pelo catador. Quando entendeu seu significado, apostou tudo o que tinha para construir, junto ao amigo, uma cooperativa modelo que pudesse ajudar o meio ambiente e gerar mais empregos à população. 


Um sonho nobre, mas nada fácil de ser colocado em práticaApesar de muitas promessas da Prefeitura no início do projetopouco fizeram para ajudar e o grupo antes grande foi ficando pequeno e, cada vez mais, sem esperança. Entretanto, Sebastião se manteve forte diante dos desafios. Ficou somente Roger, Antônio e eu, mas falei que continuaria: cuidaríamos de uma cooperativa.”  


A cooperativa começou a buscar clientes em grandes condomínios empresariais e residenciais, mesmo que não houvesse caminhão para coleta e nenhuma estrutura para a separação de materiais. Depois do primeiro caminhão, comprado às prestações e pago com muito suor, a demanda começou a aumentar, a coleta passou a render e a estrutura se tornou pequena para tanta reciclagem. 


Hoje, com 66 anos, Sebastião é fundador da YouGreen, cooperativa de reciclagem com mais de 40 funcionários, entre eleimigrantes, portadores de deficiência, transexuais e mulheres, exigindo pouco ou nenhum requisito das pessoas que contrata. E elnão pretende parar tão cedo. O caminho é este: melhorar o trabalho e gerar mais oportunidades.” 


Dedicação, esforço e amor foram as três bases que fizeram Sebastião chegar até onde chegou. Sua conquista não foi apenas por geração de renda, mas pelo trabalho socioambiental.  


Com um sorriso no rosto de quem se orgulha da própria trajetória de superação, Sebastião diz: Me sinto realizado por contribuir para o meio ambiente, para as pessoas e para o Brasil.